Dojo Kun

Dojo Kun Dojo Kun (Os cinco princípios éticos do Karate) HITOTSU JINKAKU KANSEI NI TSUTOMURU KOTO - Esforçar-se para formação do caráter saudável HITOTSU MAKOTO NO MICHI O MAMORU KOTO - Fidelidade para com o verdadeiro caminho da razão HITOTSU DORYOKU NO SEISHIN O YASHINAU KOTO - Criar o intuito de esforço HITOTSU REIGI O OMONZURU KOTO - Respeito acima de tudo HITOTSU KEKKI NO YU O IMASHIMURU KOTO - Conter o espírito da agressão indestrutiva ! ! !

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

uma historia do karate

O CAMINHO DAS MÃOS VAZIAS
Havia em certa cidade havia um professor de Karatê muito famoso por suas exigências. Os alunos que com ele treinavam, sempre ganhavam alguma colocação nos diversos torneios que a Federação organizava. Apesar disso, o que mais havia nesse dojô eram faixas brancas e alguns poucos Faixas Pretas.
Certa vez um aluno já desanimado pela rigidez dos treinamentos e pelas exigências do seu professor que, segundo seus pensamentos não recompensava seus esforços satisfatoriamente, resolveu parar com seu treinamento e abandonar o Karatê.
Entretanto, antes de abandonar os treinamentos, ele foi dar uma satisfação ao seu professor, haja vista que, pelo menos respeito, honestidade e fidelidade ele achava que tinha aprendido, durante os longos anos que ali praticara.
Então, como de costume, colocou seu Karatê-Gi e diante do seu professor começou a manifestar seus motivos de abandonar os treinamentos:
- Oss, Sensei! Resolvi que vou parar de praticar Karatê...
- Sim?
- Eu acho que não levo jeito para isso...
- Sim?
- Já faz vários anos que aqui estou e ainda não consegui galgar nenhuma graduação...
- Sim?
- Veja Sensei, já estou aqui a mais de quatro anos e ainda não saí da faixa branca!
- Sim!?
- Sei que tenho muito o que aprender ainda, mas tenho ido aos torneios e tenho vencido muitos Karatekas bem mais graduados que eu, não falto as aulas, tenho estudado o Karatê e mesmo assim, continuo na faixa branca...!
- Sim?
- Então resolvi ir embora, vou procurar outra coisa na qual eu consiga evoluir.
- Sim... mas se você vai mesmo embora, não esqueça de apanhar seus documentos e as fotos que tiramos todos juntos que estão na sua pasta arquivada no nosso escritório. Então era isso, né? Então tchau!
- Obrigado por tudo Sensei e até mais! Oss!!
Então o aluno fez uma profunda reverência ao seu professor e com o coração apertado dirigiu-se ao escritório e falou com a secretária:
- O Sensei mandou você entregar-me os documentos e fotos que estiverem na minha pasta.
Então a secretária entregou-lhe um envelope pardo e o aluno dirigiu-se ao vestiário para trocar de roupa quando, por curiosidade, resolveu olhar o que havia no envelope.
Quando ele abriu o envelope, seu coração quase parou. Juntamente com as fotos de seus colegas, momentos de alegria etc., lá encontravam-se os seis certificados de graduação até a faixa marrom. Todos preenchidos com o seu nome, datados nas respectivas carências e devidamente assinados e registrados na Federação.
Nesse momento foi como se o chão e o céu se abrissem e ele compreendeu que a cor da faixa não significa nada e com os olhos cheios de lágrimas retornou ao Dojô, onde seu professor o recebeu como se nada houvesse acontecido, alinhando-se no lugar de sempre, mas agora de sua face resplandecia uma grande paz.
Durante algum tempo ainda esse aluno usou sua velha Faixa Branca, tendo-a trocado pela Faixa Marrom apenas no momento de prestar exame para Faixa Preta junto a uma banca da Federação, onde foi aprovado com louvor.

Fonte:

KarateSantamariense.blogspot.com     - Adm Cesar Estivales

1 comentários:

Postar um comentário

tigre

tigre